Atrás departamento de
Oncologia Radioterapêutica

RADIOTERAPIA INTERNA OU BRAQUITERAPIA

A radioterapia interna ou braquiterapia trata-se de uma técnica especial de radiação que se baseia na introdução de uma fonte radioativa (radioisótopo) no tumor ou na massa tumoral (tecido saudável próximo do tumor que fica depois da extração do mesmo e que tem um alto risco de conter uma doença microscópica residual).

Aplica-se esta técnica sobretudo no caso de tumores genito-urinários, ginecológicos e para sarcomas.

A Clínica Universidade de Navarra é um dos centros de referência internacional na realização de implantes intra-operatórios e tratamento de radiação com técnica de braquiterapia de alta taxa de doses durante o pós-operatório de diferentes tipos de tumores. 

PRECISA BUSCAR UMA SEGUNDA OPINIÃO?

Imagen con los pasos que hay que dar para solicitar una segunda opinión en la Clínica Universidad de Navarra

Caso necessite a opinião médica dos nossos especialistas sem necessidade de deslocar-se à Clínica, oferecemos-lhe a possibilidade de realizar uma consulta de Segunda Opinião não presencial.

A braquiterapia intersticial introduz a fonte radiativa no tumor ou na massa tumoral

Os implantes intersticiais temporais introduzem a fonte radioativa no tumor ou na massa do tumor extraído mediante dispositivos de entrega especial, aplicadores.

Existem muitos tipos de aplicadores (cateteres, agulhas, cilindros, tubos, sistemas com balão, etc.), muitos deles específicos para cada tratamento. A sua característica comum é a que são ocos e permitem que uma fonte radioativa, controlada à distância e que liberta a radiação, se desloque no seu interior.

A braquiterapia intersticial temporal trata diversos tumores: próstata, ginecológicos, mama. Geralmente, utiliza-se como técnica complementar à radiação externa para administrar uma dose de radiação extra (impressão sobreposta ou boost) sobre o tumor ou a massa tumoral.

Podem ser realizados procedimentos de braquiterapia intersticial temporal durante a extração de um tumor (a cavidade aberta). Aproveita-se a mesma cirurgia para reconhecer diretamente a massa tumoral (que é uma zona de alto risco de possuir doença residual microscópica) e poder revestir com uma série de finos tubos de plástico (cateteres) que servem para aplicar o tratamento de radiação durante o perioperatório.

As vantagens de realizar o implante com a cavidade aberta são: minimizar o erro de reconhecimento da zona de risco e administrar antecipadamente um tratamento de radiação que ajuste a dose de radiação consoante a distância do tumor às margens de ressecção.

A braquiterapia intersticial permanente, conhecida como braquiterapia estereotáxica, braquiterapia de baixa taxa ou mais popularmente chamada de implante de sementes, introduz (implante) fontes fechadas ou seladas de material radiativo (sementes) de pequeno tamanho (4,5 mm de comprimento por 0,8 mm de diâmetro, no caso em que, alojadas no volume diana (tumor ou órgão doente), ficarão apoiadas indefinidamente nele libertando a radiação de uma forma ininterrupta até que se produza a completa desintegração do material radioativo.

O implante permanente que se realiza com maior frequência no âmbito clínico é o implante de baixa taxa com sementes de 125Yodo para tumores de próstata. 

Temos ampla experiência a nível mundial no tratamento em braquiterapia intra-operatória.

A Clínica foi o primeiro centro espanhol a realizar braquiterapia intra-operatória, que diminui de modo significativo o tempo de administração de radioterapia.

Consiste na irradiação parcial do tumor graças à implantação de cateteres de forma minimamente invasiva, no mesmo ato cirúrgico em que se extraí o tumor. 

Procedimiento exclusivo de irradiación parcial precoz para pacientes con cáncer de mama

Durante a cirurgia colocam-se 5-10 tubos de plástico na cavidade cirúrgica que fica depois da extração do tumor, na qual existe risco de existência de doença residual tumoral microscópica ou na qual existe o risco de padecer da doença tumoral microscópica não removida pelo cirurgião. Estes tubos são fixos à cavidade cirúrgica e são extraídas à superfície de igual modo que numa drenagem cirúrgica.

Depois da intervenção, quando o paciente está em condições de deslocar-se, realiza-se um TAC de planeamento para verificar a correta deslocação dos tubos plásticos e sua distância relativamente a tecidos normais não afetados pelo tumor. Com este scanner realiza-se uma dosimetria personalizada.

Realiza-se um relatório de anatomia patológica, através do qual se estuda a necessidade de tratar o paciente mediante braquiterapia intra-operatória, a dose a aplicar e a conveniência de combinar o tratamento com radioterapia e quimioterapia um mês depois da intervenção.

A Clínica é um dos primeiros centros de Espanha em aplicar a Braquiterapia pós-operatória parcial acelerada no cancro de mama, que consiste na irradiação parcial da mama mediante cateteres, no mesmo ato cirúrgico em que se extraí o tumor.

Posteriormente, os cateteres permitem aplicar, de forma ambulatória, a totalidade da radiação necessária num período de 5 dias (2 sessões diárias), face às 6 semanas necessárias na radioterapia convencional.

A radiação administra-se através de uma pequena fonte radiativa de irídio que navega pelo interior dos cateteres implantados. O tratamento da radiação planifica-se mediante um navegador tridimensional da mama que permite atribuir de uma forma muito precisa a dose alta de radiação na zona que mais necessita, diminuindo a radiação sobre os órgãos saudáveis como é o caso da pele, coração e pulmões. 

talvezlhe interesse

RAZÕES PARA VIR

Porque é que a Clínica é diferente em relação a outros centros sanitários?

Imagen de una niña pequeña con cáncer por los pasillos de la Clínica

ENSAIOS CLÍNICOS

Deseja participar nos nossos ensaios clínicos? Conheça quais os que estão ativos.
Imagen médico investigando con microscopio

SERVIÇOS INTERNACIONAIS

Saiba o que fazemos para os nossos pacientes internacionais.
Entrada principal a la Clínica Universidad de Navarra