área de Tumores do Tubo Digestivo

A Área de Tumores do Tubo Digestivo é composta por uma equipa multidisciplinar de especialistas no diagnóstico e tratamento de doenças do aparelho digestivo. Inclui especialistas no aparelho digestivo, radiologia, anatomia patológica, cirurgia e oncologia médica e radioterapia e o apoio da enfermaria.

20% dos pacientes afetados pelo cancro de cólon tem algum familiar próximo (pais, irmãos ou filhos), diagnosticados com cancro de cólon.

Entre 3-5% dos casos de cancro de cólon correspondem a síndromes de cancro hereditários conhecidos e bem determinados, nos quais se conhece a que idade podem aparecer os pólipos ou os tumores, qual é a sua evolução, que tratamentos cirúrgicos devem aplicar-se e o risco de desenvolver outros tumores além do cólon que também convém vigiar.

Conhecem-se as características pelas quais o perfil de um paciente pode corresponder a um dos três síndromes hereditários mais frequentes já determinados e verificar a presença de algum dos genes responsáveis dessa predisposição.

Desenvolvemos projetos de investigação de diagnóstico e tratamento do cancro colo-rectal com o Centro de Investigação Médica Aplicada da Universidade de Navarra (CIMA)

O cancro do cólon é o tipo mais comum de câncer em Espanha, mas se detectada precocemente pode ser curada em 90% dos casos.

A cirurgia é fundamental para controlar a doença. Mas, este tumor apresenta recaídas abdominais e metástases. A cirurgia deve-se completar com quimioterapia antes e depois ou, depois, com quimio e radioterapia".

Cancro colo-rectal

O cancro colo-rectal é frequente e cura-se caso seja detetado precocemente

A formação de um cancro de cólon aparece através de um pólipo transformado em maligno. 80% dos casos são esporádicos, mas 20% tem influência genética.

É um cancro frequente. Caso o tumor seja detetado numa fase prematura, pode ser curado em mais de 90% dos casos.

A maioria dos tumores de cólon são adenocarcinomas. Este tumor maligno pode crescer de uma forma local (invadindo as capas da parede do tubo digestivo e pode alcançar os órgãos presentes no abdómen), por disseminação linfática aos gânglios ou por disseminação hematogénico (através do sangue vão preferentemente para o fígado, pulmão, ossos e cérebro).

> Leia mais sobre o cancro colo-rectal

Cancro de estômago

A incidência dos tumores de estômago está a diminuir nos últimos anos. Apesar disso, o cancro gástrico é um tumor muito frequente.

> Leia mais sobre o cancro de estômago [ES]

Cancro de esófago

O cancro de esófago é o quarto tumor mais frequente do aparelho digestivo (atrás do cancro colo-rectal, gástrico e hepático) e situa-se entre os dez cancros mais frequentes no mundo.

> Leia mais sobre o cancro de esófago [ES]

Cada pessoa tem um risco individual de sofrer cancro de cólon que depende de muitos fatores. Alguns estão claramente estabelecidos.

O risco é “standard” caso tenha mais de 50 anos e não apresente nenhum dos seguintes fatores de risco:

  • Antecedentes familiares pessoais de cancro de cólon ou de pólipos adenomatosos. História familiar (pais, irmãos e/ou filhos) com cancro de cólon ou pólipos adenomatosos.
  • Antecedentes familiares de múltiplos cancros, especialmente mama, ovário e útero. Diagnosticado de doença inflamatória intestinal crónica (colite ulcerosa, doença de Crohn). Considerando as suas características pessoais e antecedentes familiares, é aconselhado controlos periódicos com uma determinada idade e periodicidade.
  • Existem também doenças hereditárias com mais risco de desenvolver cancro de cólon. Entre 3-5% dos casos de cancro de cólon correspondem a síndromes de cancro hereditários conhecidos e determinados.

A Clínica criou a Unidade de Prevenção de Cancro Colo-rectal e Consulta de Alto Risco [ES] para determinar se existe predisposição genética e esclarecer em familiares de pacientes a possibilidade de contrair a doença tumoral e, nesse caso, encontrar o tratamento adequado para evitá-la. 

Os exames que se realizam mais frequentemente são:

Outras exames que complementam o diagnóstico são:

Tratamentos

Para curar a sua doença, os tratamentos que colocamos à sua disposição são:

Protocolos terapêuticos

Contamos com protocolos terapêuticos estabelecidos para que os nossos especialistas lhe proporcionem a melhor atenção para tratar a sua doença.

  • Cancro de cólon metastático
  • Cancro de cólon não metastático
  • Cancro de recto não metastático
  • Cancro de recto metastático

os nossosPROFISSIONAIS

peça
UMA CONSULTA

Pode pedir consulta com os nossos especialistas, de forma rápida e sem esperas, preenchendo este formulário.

Ou ligamos-lhe

* Horários de atenção consoante a hora de Espanha peninsular.

Obrigado. Entramos em contacto consigo o mais rápido possível.

O campo telefone é obrigatório.

Pedimos-lhe que verifique o número de telefone. O mesmo deverá ter entre 9 e 15 dígitos e começar por 6,8,9,71,72,73 ou 74. No caso dos números internacionais, por favor, introduza 00 seguido do prefixo internacional correspondente e o seu número de telefone (00-prefixo internacional 34-número de telefone 948 255 400)..

Espere um momento enquanto damos seguimento ao seu pedido.

Fechar Enviar

INVESTIGAÇÃO

Não existem ensaios para este departamento
Imagen Alfredo V., paciente de la Clínica

Uma doença deste tipo é como subir uma montanha. Você deve ser paciente e ciente da distância até a cimeira e ir alcançando níveis de pouco em pouco".

Alfredo V.

Paciente tratado de um carcinoma de cólon

talvezlhe interesse

RAZÕES PARA VIR

Porque é que a Clínica é diferente em relação a outros centros sanitários?

Imagen de una niña pequeña con cáncer por los pasillos de la Clínica

ENSAIOS CLÍNICOS

Deseja participar nos nossos ensaios clínicos? Conheça quais os que estão ativos.
Imagen médico investigando con microscopio

SERVIÇOS INTERNACIONAIS

Saiba o que fazemos para os nossos pacientes internacionais.
Entrada principal a la Clínica Universidad de Navarra