Obesidade

saber mais sobre a obesidade

A obesidade é o transtorno metabólico mais frequente da sociedade desenvolvida e afeta 20% da população espanhola.

Pode manifestar-se em qualquer momento da vida e a sua prevalência aumenta progressivamente com a idade.

Calcular o Índice de Massa Corporal [ES] (IMC) é a forma mais prática de conhecer no caso de existir obesidade.

Conjuntamente com os fatores ambientais, as causas da obesidade podem ser o aumento da ingestão calórica, a predisposição genética e, excepcionalmente, causas hormonais ou doenças neurológicas.

Uma dieta adequada deve aportar a quantidade de calorias, proteínas, hidratos de carbono, lípidos, minerais, vitaminas, água e fibra adequados em função da idade, o sexo, a etapa de desenvolvimento, a situação do organismo, etc.

As dietas variadas garantem a ingestão adequada de todos os nutrientes, ajustando individualmente as calorias necessárias em função da atividade realizada. 

Imagen preview de infográfico sobre obesidad y su tratamiento quirúrgico
Saiba tudo sobre a obesidade
Faça download do infográfico
Fino pode ser obeso
Existe uma dieta ideal?

Os sintomas que a obesidade produz são provocados devido ao aumento do peso corporal e devido às consequências e complicações que isto traz consigo, responsáveis da redução na expectativa de vida da pessoa obesa.

  • O cansaço e a dificuldade para o desenvolvimento de atividades quotidianas são limitações frequentes provocadas pela obesidade.
  • Além disso, pode dar lugar a complicações metabólicas como a diabetes mellitus, aumento de triglicerídeos, colesterol e ácido úrico, o qual favorece as crises de gota.
  • Diminui também a tolerância ao esforço.
  • Favorece o aparecimento de hipertensão arterial e pressupõe um fator de risco vascular para o desenvolvimento de insuficiência coronária e de acidentes vasculares cerebrais.
  • As complicações articulares, especialmente em ancas e joelhos, limitam a atividade física.
  • Quando o excesso de peso é muito importante, pode originar síndrome de apneia do sono, que reduz o nível de oxigénio do sangue e provoca sofrimento dos tecidos do organismo.
  • Além disso, as pessoas obesas apresentam com maior frequência litíase biliar, esteatose hepática e hérnia do hiato. 

A acumulação de tecido gordo produz-se quando a energia em forma de calorias é maior do que o consumo de calorias do organismo em condições de repouso (metabolismo basal), produção de calor e consumo calórico derivado da atividade física.

  • Na maioria dos casos, a obesidade produz-se por um aumento da ingestão calórica, com frequência associada a uma atividade sedentária.
  • Também influem os fatores ambientais e a predisposição genética.
  • Os tratamentos psicótropicos, como alguns antidepressivos ou tranquilizantes, e os hormonais, especialmente os compostos estrogênicos, podem favorecer o aumento de peso.
  • É frequente que circunstâncias que produzam ansiedade venham acompanhadas de uma atitude compulsiva alimentar que favorece o sobrepeso.
  • O abandono do hábito do tabagismo pode provocar, com frequência, aumento de peso, embora este fenómeno não seja necessariamente inevitável.
  • Excepcionalmente, pode dever-se a causas hormonais como o hipotireoidismo ou a síndrome de Cushing.
  • Também pode ser provocada por doenças neurológicas ou hereditárias que alteram o centro da fome e da saciedade, que se encontram localizadas no hipotálamo. 

A obesidade mórbida constitui um grau extremo de excesso de peso, com um índice de massa corporal superior a 35-40 (IMC = peso em kg/estatura em m2).

É uma doença crónica que faz com que o indivíduo tenha uma qualidade de vida deficiente e tenha um risco elevado de sofrer complicações severas, especialmente cardiovasculares, respiratórias e metabólicas, que comprometem a expectativa de vida.

O tratamento baseia-se na realização de um plano alimentar de dieta hipocalórica e de um programa de atividade física personalizados que, conjuntamente com o apoio farmacológico adequado e a necessária educação nutricional, visa gerar um balanço calórico negativo, que permita diminuir progressivamente o excesso de gordura corporal.

Quando o tratamento inicial fracassar, valorar-se-á a necessidade de adotar outras medidas terapêuticas como a cirurgia bariátrica. Este tratamento cirúrgico facilitará sair da situação de risco vital em que se encontram os pacientes com obesidade mórbida.

A obesidade é a doença nutricional mais frequente em crianças e adolescentes nos países desenvolvidos.

O tratamento precoce é sumamente importante devido às consequências tão negativas que têm tanto para a saúde como para o estado e desenvolvimento psicológico da criança e do adolescente. O êxito radica em mudar as normas de alimentação que promovam a longo prazo a diminuição do peso, as quais há que complementar com exercício físico (pelo menos três vezes por semana) e reduzir as atividades passivas.

A obesidade infantil pode ser ocasionada devido a vários fatores genéticos, ambientais ou relacionada com o baixo gasto energético. Aproximadamente 80% das crianças e dos adolescentes obesos seguirão sendo obesos até chegarem à idade adulta.

É difícil saber se estes transtornos psicológicos precedem à obesidade ou são consequência da mesma doença. A persistência de obesidade infantil até à idade adulta aumenta significativamente o risco de padecer doenças como diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e inflamação ou cálculos na vesícula biliar.

o nosso sistemaDIAGNÓSTICO E DE TRATAMENTO

Pacientes sem complicações acrescidas

Programa 1

Pacientes sem complicações acrescidas.

Pacientes com fatores de risco cardiovascular.

 Programa 2

Pacientes com fatores de risco cardiovascular.

Pacientes com complicações associadas.

 Programa 3

Pacientes com complicações associadas, principalmente SAOS.

Pacientes complexos: cirurgia bariátrica.

Programa 4

Pacientes complexos com indicação de cirurgia bariátrica ou metabólica.

Além de realizar o cálculo do Índice de Massa Corporal, na Clínica determinamos a percentagem de gordura com o pletismógrafo Bod Pod".

Ou ligamos-lhe

* Horários de atenção consoante a hora de Espanha peninsular.

Obrigado. Entramos em contacto consigo o mais rápido possível.

O campo telefone é obrigatório.

Pedimos-lhe que verifique o número de telefone. O mesmo deverá ter entre 9 e 15 dígitos e começar por 6,8,9,71,72,73 ou 74. No caso dos números internacionais, por favor, introduza 00 seguido do prefixo internacional correspondente e o seu número de telefone (00-prefixo internacional 34-número de telefone 948 255 400)..

Espere um momento enquanto damos seguimento ao seu pedido.

Fechar Enviar

talvezlhe interesse

RAZÕES PARA VIR

Porque é que a Clínica é diferente em relação a outros centros sanitários?

Imagen de una niña pequeña con cáncer por los pasillos de la Clínica

ENSAIOS CLÍNICOS

Deseja participar nos nossos ensaios clínicos? Conheça quais os que estão ativos.
Imagen médico investigando con microscopio

SERVIÇOS INTERNACIONAIS

Saiba o que fazemos para os nossos pacientes internacionais.
Entrada principal a la Clínica Universidad de Navarra